Uma websérie sobre o universo de atração, desejo, mágoa e vingança de duas mulheres conectadas por um carma que precisará de mais de uma vida para ser resolvido

Sem categoria

Bliss na Casa da Monet

1ª Exibição de Bliss na Casa da Monet

Arte: Mito Freelance (www.mitofreela.wordpress.com)

A primeira exibição pública do Episódio Piloto de Bliss já tem data marcada: 7 de Julho, a partir das 19h, na Casa da Monet – Rua Angustura, 122, Serra. BH – MG.

Mais de uma vida. Muitas conexões.

Descubra como os destinos de Anna e Valentina se cruzam neste primeiro episódio da série Bliss! Uma série com muitas nuances, como a própria personalidade feminina. Prepare-se para se extasiar com os mistérios, a sensualidade e o sabor destas mulheres!

Anúncios

As Últimas

Ops!

Foto: Mari Mota

Reparei que a maioria dos posts começo pedindo desculpas pela demora em postar. Resolvi não mais fazer isso! rs Não adianta eu ficar me desculpando aqui e eu continuar sendo atropelada pelo tempo e sendo impedida por fatores externos (Mito Freelance e Dolita, entre outros projetos e atividades) de ter uma frequência fixa de postagem. Outro motivo para a demora em postar (sim, estou justificando uma última vez) é que as coisas no audiovisual às vezes acontecem vagarosamente e há momentos de paradeiro, quando não se tem grana ou profissionais para fazerem o trabalho. De qualquer forma, farei o máximo para deixar você a par do que anda rolando em Bliss e sentir mais gotas do néctar (amargo ou doce) que a série tem.

Quem acompanha o blog deve ter percebido a migração pro WordPress. Resolvi mudar pra cá pra personalizar melhor o layout do blog, dando uma cara mais de Bliss a tudo o que você vê. Esta semana deve sair, também, material de divulgação da primeira exibição de Bliss (ainda na versão de banca de TCC) na Casa da Monet, em Belo Horizonte. Se estiver por perto, dê uma passadinha lá! Logo logo divulgo a data!

Outra novidade é a criação da página de Bliss no facebook, onde também serão disponibilizados todos os vídeos que saírem. No mais, estou organizando os arquivos do projeto, correndo atrás do making of e da finalização para que o episódio piloto esteja o mais rápido possível online!

Obrigada pelas 5.493 visitas no blogger e pelas 808 exibições do trailer!!!


O Trailer


As duas versões de Bliss

Eu sei que prometi escrever com mais frequência por aqui e acabei desaparecendo… Não se desespere! Vou contar o que acontece com Bliss neste instante!

Sabe por que ainda não dá pra assistir ao episódio piloto? Como tudo começou como um trabalho acadêmico, já existe uma versão finalizada, que apresentamos na banca de TCC, mas ela não é a versão final. Ainda precisamos compor, gravar e incluir a trilha sonora original e fazer alguns ajustes na edição. Mais uma vez, não se desespere!

Pensei bastante se deveria liberar esta primeira versão de Bliss na internet agora e depois liberar a versão final. Conversei com algumas pessoas e veio a @CarinaFacts, nossa amiga Lupina, dar a idéia de fazer um trailer. Obcequei durante uma madrugada e tentei fazer o dito cujo. Não deu muito certo… rs Resolvi devolver a idéia para a dona Lupina, que está finalizando o trailer agora, neste restinho de carnaval. Isto significa: você vai poder assistir ao trailer de Bliss em breve! =D

Para os amigos e as pessoas mais próximas, há ainda mais uma novidade quentíssima: quem quiser assistir ao episódio piloto nesta versão inicial pode marcar de encontrar comigo para receber o vídeo e/ou o trailer em seu celular e levar para assistir onde quiser. Assim, além de fazer a alegria da galera, posso ir testando os formatos ideais para disponibilizar a série para que você assista lindamente em seu celular.

Enquanto isso não acontece, aproveite para apreciar uma das fotos de Still que a Mari Mota tirou durante as gravações (por falar nisso, ela tá devendo o Making Of! rs):


Um breve

Sentiram nossa falta? Também sentimos falta de vocês! Peço perdão pela demora para atualizar o blog mas, como sabem, “Bliss” começou como um trabalho acadêmico e precisávamos dar conta de toda a burocracia do processo de se produzir considerando as regras estabelecidas pela insituição. Foi por isto que sumimos! Agora as atualizações serão mais frequentes e deixarei vocês a par do que rolou no caminho até aqui e das coisas que ainda estão por vir.

Temos mais um canal de informações: o Twitter. Para seguir, acessem www.twitter.com/seriebliss e fiquem sabendo das novidades antes mesmo delas serem estruturadas em posts aqui.

Sentimos falta de comentários! Vimos que o acesso continua crescendo e vocês não comentam. O que acontece? Interajam! Temos mais coisas para compartilhar do que vocês imaginam!

Apresentamos o trabalho para a banca no dia 9 de Dezembro e fomos aprovados! Vocês não fazem nem idéia das dificuldades, medos e stress que enfrentamos e do tanto que esta vitória foi gratificante. Prometo tentar mostrar, ao falar sobre o processo, o Bliss da alegria extrema e também algo do desespero extremo que caracteriza um êxtase. O projeto continua, a edição vai ser refinada e assim que possível o episódio piloto estará disponível para vocês assistirem.

Os últimos posts foram escritos antes das gravações. Vou dar um gostinho do que foi toda a etapa de preparação e produção pra vocês, aos poucos, com direito a fotos. Por falar nelas, 50 das cerca de 700 fotos tiradas pela Mari Mota podem ser vistas no meu Facebook, mesmo pra quem não tem cadastro na rede social. Lá vocês podem conhecer a equipe cheia de energia e boa vontade que tornou possível a gravação do primeiro episódio de Bliss.

Foto: Mariana Mota

Obrigada a TODOS que colaboraram, participaram, viveram e mergulharam em Bliss. Estamos planejando a festa de lançamento para a equipe e os mais chegados. Como tudo que é bom merece um bis, estamos considerando já a festa parte 2: um lançamento maior e aberto ao público que se interessar por esta história cheia de mistérios, “coincidências” e emoções.

O Silêncio de Marina

De Marina eu conheci a sombra, silhueta postada em um banco de madeira sob a luz de uma lua que explodia de tão cheia, tão previsível. Marina é reflexo de uma luz que escancarava aquela janela em tardes frescas, tão insuportavelmente transparentes que faziam da própria existência a coisa que mais doía.

“Inauguro com este silêncio a inscrição em minha lápide de ilusões. É mais um gesto intempestivo cravando fundo o aço, e o corpo que o sustenta.”

Com o véu de qualquer medo, Marina derrete segredos em torrentes que escorrem por suas mãos. Em sua face transparecem marcas de um futuro que desconhece, mas não deixa de sentir. Ela é passagem, espelho, vazio prenhe de cores absurdas. Aurora boreal, sem espaço para brilhar, pinta o infinito com seu desejo.

“É preciso inscrever algo sobre a lápide do meu silêncio. Gestos também são vestígios, um tipo de palavras com muito menos esconderijos para a dor.”

No silêncio da casa
À noite 
Até o respirar causa 
Estrondo

Foto: Mariana Mota
O silencio ecoava enquanto Marina se quebrava por inteiro, para não deixar que os outros virassem cacos.

Precisamos de ajuda!!!

Olá! Desculpem grande intervalo entre este e o último post… Faltam apenas alguns dias para a gravação do Episódio Piloto e aconteceram muuuuitas coisas nos últimos tempos. Estamos todos nos dedicando loucamente para que tudo dê certo, mas precisamos da ajuda de vocês! Ainda não temos recursos suficientes para gravar. Não sei se todo mundo confere as outras páginas do blog (Apresentação / ReleaseSinopseElencoApoio / Patrocínio, por isto vou falar sobre Apoio e Patrocínio aqui também.

Quem trabalha com Cinema sabe o quanto custa fazer um filme, por menor a duração e por mais simples que seja a produção. Sabe também da dificuldade de conseguir recursos dentro do tempo estipulado e da impossibilidade, muitíssimas vezes, de se adiar o cronograma em função da falta de dinheiro. Mesmo no nosso caso, em que contamos com um Elenco e uma Equipe totalmente composta por voluntários que não recebem salário algum, existem custos. Precisamos dar condições de trabalho a todos e, ao mesmo tempo, investir na plasticidade e na estética do produto, ou seja, tornar viável o processo de criação. É necessário comida, transporte, figurino, objetos, aluguel de equipamentos, entre outras coisas e imprevistos. É por isto que venho aqui dividir a minha preocupação e pedir a ajuda de vocês.

O que vocês podem fazer para nos ajudar? Se tiverem uma empresa, ou conhecerem alguém que tenha uma e tenha interesse em nos apoiar, oferecemos a divulgação da marca da empresa aqui no blog, nos créditos de Bliss e nos materiais de divulgação (folder, pop card, etc.). O apoio e/ou patrocínio pode ser feito através de serviços, como empréstimo de roupas para o figurino, objetos para a arte, fornecimento de alimentação ou mesmo através de dinheiro para administrarmos entre todas as necessidades de produção.

Se forem meros mortais como nós e não tiverem tanto dinheiro quanto uma empresa também podem ajudar com contribuições em qualquer valor, a partir de R$ 5,00 na nossa Vakinha Online. Existem várias formas de pagamento e o processo é realizado via Pag Seguro, um dos sistemas de pagamento online de mais credibilidade nas transações virtuais. Além disso, o seu nome aparece nas contribuições e você pode também deixar uma mensagem para a gente lá! Contamos com vocês!


Elenco

É com muita satisfação que apresentamos a vocês o elenco do episódio piloto de Bliss! Depois de alguns dilemas, “acasos” e testes conseguimos definir quem são as pessoas que emprestarão sua voz, imagem e energia para que nossas personagens criem vida.
Não posso deixar de falar do meu espanto com relação às “coincidências” que envolvem toda a atmosfera de Bliss. É impossível explicar cada uma das sincronicidades agora que estamos na loucura do último mês de pré-produção, mas tentarei fazer isso depois, ok? Basta, por ora, saber que as peças do quebra-cabeça às vezes se encaixam sozinhas… ….E que estamos cada vez mais felizes com o quadro que se forma. 😉

Vamos às nossas estrelas:

Rose Brant – Marina / Anna
Foto: Patrice Thomáz

Juliane Guimarães – Luna / Valentina

Foto: Arquivo pessoal
Manuela Chacón – Cléo
Foto: Arquivo pessoal
Ruy Barbosa Júnior – Cliente
Foto: Mariana Mota
Luana e Bruno – Garçons

Fotos: Mariana Mota


A Face de Anna

Quero falar da face de Anna. De sua cama, de sua fala. Quero falar do que não diz, do que é intenso e profundo em cada partícula de seu silêncio sufocado.
Narciso desbotado na beira do rio. Feito camisa branca cheia de botões, ancorada na pedra da cachoeira. Algo falta, esvai em silêncio. Um botão perdido.
Por entre a máscara de Narciso há um reino inteiro, todo um universo escondido. Anna está imersa e não sabe. Águas revoltas, águas maciças. Ela sorri a perda infinita:
“Eu gosto desse perfume que sobra depois da dor. O cheiro me atrai como um ímã para a solidão dela. Solidão que é minha. Bebo discretamente a sua angústia e isto nos aproxima.”
Anna muda o que não quer, por força do destino. Desconhece as cartas que tiraram para ela em qualquer canto aromatizado de rum. Ela não sabe quem moveu céus e infernos para que despertasse do pesadelo de todos os dias, de todos os tempos. Apenas estava ali. E sorria. Sorria com todos os dentes da dor.

Sob a fumaça azul, sussurros:

“Cigarros mal acesos, como outras coisas inacabadas. Acordei e sou em sonho. Agora teimo em me sonhar. Chuva… Chove e desce, e me exala. Eu exalo teu cheiro, que sempre me pertenceu: esta memória de acasos perdidos.”
….

“Retorno à vida enraizante, à solidão de ser perfeita. É apenas o começo (O Louco, segundo a cartomante). Pó de violeta, violento, em meus lençóis.
….
“Coisas inacabadas. Sempre. Como algo a que voltar… Cigarros mal apagados. E a cinza que me distrai.

Norte

Manu não conseguiu logar hj. Pediu para eu postar, com este título, as coisas que seguem:
Esse post é pessoal. Depois eu explico.
.
Ela é um norte, como o farol no meio do menor pedaço de rocha incrustado no centro mais agitado do oceano onde não se avista terra nem mesmo tendo vista feroz de águia. Os olhos dela brilham em ocre e indicam a direção. Pode não ser a direção certa, mas é o caminho que vai até onde preciso chegar.
Percorri essa rota por mais de três mil anos, em sucessivas vidas as quais vivi pouco, vivi longinquamente, morri recém nascida, fui abortada ou durei o suficiente para conhecê-la de fato.
Se me ocorre o pensamento que ela pode se perder… Só consigo pensar: Vejo-te na próxima existência.
E cada vez que eu olho para ela, eu vejo outra vez, a tempestade, o cinza e a neblina… E vejo a luz, principalmente a luz, pálida e envelhecida que atravessa a tormenta e aquece todos os meus ossos do corpo.
.
Homenagem a minha grande amiga. Sim… vc me inspira em Bliss.
.